Saiba como ter franquia de bagagem internacional em voos domésticos!

Atualizado em abril/2014

Para aproveitar as recentes megapromoções de passagens internacionais, postadas com exclusividade pelo Melhores Destinos, muitos leitores compraram passagens saindo de outras cidades, como Porto Alegre ou Campo Grande. A grande dúvida agora é como conciliar as franquias de bagagens diferentes dos voos domésticos, que permitem uma mala de até 23 kg, com os internacionais, onde o passageiro pode levar duas malas com até 32 kg cada.

Se é esta a sua situação, saiba que é possível evitar as taxas de excesso de bagagem e conseguir a franquia internacional também no voo doméstico, mesmo que você não tenha comprado os bilhetes juntos. As companhias aéreas GOL e Avianca Brasil oferecem essa possibilidade sem custo para seus passageiros, enquanto TAM e Azul não adotam essa prática. Neste post vamos explicar como funciona e como solicitar.

1. Franquias de bagagem

O primeiro ponto a esclarecer é que as companhias aéreas são obrigadas por lei a oferecerem as franquias de bagagem. Então todo o voo internacional que saia do Brasil garante ao passageiro levar até duas malas de 32 kg cada, exceto para países da América do Sul, que permitem apenas uma mala de até 20 kg.

1397454_56769777-620x465

Se você comprou o trecho saindo de sua cidade com conexão em outro aeroporto nacional, como São Paulo ou Rio, fique tranquilo que sua franquia internacional está garantida desde o trecho nacional. Por exemplo: você comprou uma viagem saindo de Goiânia para Roma, com conexões em São Paulo e Madri. Em todos os voos, no Brasil e na Europa, poderá levar duas malas com 32 kg sem taxas.

2. Comprando separado

Quem compra separado os trechos nacionais e internacionais não está coberto pela lei. Mas como veremos agora isso não quer dizer que terá que pagar excesso de bagagem. Esse é o caso, por exemplo, de quem comprou uma promoção saindo de Porto Alegre para Orlando, mas mora em São Paulo. Nesse voo de São Paulo a Porto Alegre, só terá direito a uma mala de 23 kg, a menos que solicite à companhia aérea uma equiparação de franquia. Veja como fazer:

2.1 Avianca Brasil

A Avianca Brasil é a companhia mais generosa quando se trata de honrar as franquias de voos internacionais em seus voos. Os passageiros que voam com a companhia têm a possibilidade de levar a bagagem extra seja qual for a companhia internacional com a qual tenham voo internacional.

como-voar-avianca-525x348

“Cliente de voos internacionais com conexão nacional em voo Avianca Brasil tem um prazo de até 6 horas desde o embarque ou desembarque para usufruir da Franquia de Bagagem estabelecida pela companhia responsável pelo trecho internacional”, informou a companhia, por meio do serviço de atendimento ao cliente.

Segunco a empresa, o passageiro deverá apresentar seu bilhete aéreo internacional de ida ou volta no check-in da Avianca para ter direito ao benefício: “Não importa qual companhia fará o voo internacional, somente será necessário se atentar à diferença de horários entre embarque e desembarque dos voos”.

A informação também consta no site da Avianca Brasil

2.2 GOL

A GOL também oferecia o benefício a seus passageiros, mas ele foi encerrado no dia 3 de abril de 2014, valendo apenas para compras anteriores a esta data. Agora a companhia só honra bilhetes comprados juntos, mesmo que os trechos domésticos e internacionais sejam em companhias parceiras ou pela própria GOL. Saiba mais neste post

800px-Voegol_Airlines_737_EZE_18th._Jan_2011-525x318

2.3 TAM

A TAM tem uma política mais inflexível com relação à franquia de bagagem. A posição oficial da companhia, enviada ao Melhores Destinos, é que serão honradas as franquias somente se as passagens forem compradas juntas, mesmo que os voos nacional e internacional sejam operados pela TAM ou sua parceira LAN.

avaliacao-tam-linhas-aereas313-525x295

“A franquia de bagagem é considerada de acordo com o contrato (passagem). Se o voo doméstico estiver no mesmo contrato que o voo internacional, a franquia será honrada, mas se os voos estiverem em contratos separados a franquia será separada em doméstica e internacional, de acordo com cada contrato”, explicou a companhia. Mais uma vez, isso não impede que se tente evitar o pagamento da taxa de excesso de bagagem com uma boa conversa. Muitas vezes funciona!

Já conseguiu que a companhia nacional honrasse a franquia internacional em seu voo doméstico? Ou teve que pagar excesso de bagagem? Conte nos comentários como foi!

Dúvidas? Entre em contato!